Festividade do Conjunto Jardim do Senhor

Eu indico!

Festividade do Conjunto Jardim do Senhor (2011)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Você sabia??


Enurese nocturna - «Chichi na cama»

O que é?

A enurese nocturna é definida como "emissão involuntária
da urina (enquanto a criança dorme) verificada após os
cinco anos de idade".
Importa lembrar que o desenvolvimento neuromuscular
que possibilita o controle da micção ocorre cerca dos
quatro ou cinco anos e que as várias etapas do crescimento
variam entre os indivíduos.


Causas

Mais comum nos rapazes, este problema pode ter causas
orgânicas devido à pequena dimensão e imaturidade da
bexiga, a infecções urinárias, ou uma irritação da bexiga
causada por alergias ou sensibilidade a determinados
alimentos.
A deficiência na produção da hormona vasopressina é a
causa mais frequente. Esta hormona antidiurética regula
a produção de urina, fazendo com que a sua produção seja
menor no período nocturno.

No entanto, o medo, a ansiedade e o stress podem também
originar a regressão a um padrão comportamental anterior.
Assim, quando a causa da enurese está relacionada com o
stress, o problema é temporário.
Normalmente, surge interligada a alterações do quotidiano
da criança: aquando do nascimento de um novo membro na
família, com a mudança de casa, de infantário ou de escola,
com a separação dos pais, ou ainda, com a morte de um ente-querido.

Salienta-se ainda o papel da herditariedade. O índice
ocorrência de enurese nocturna é de 44% se um dos pais
tiver sofrido desta disfunção e de 77% se tiver afectado
ambos os pais.


Consequências

A sociabilização da criança e a sua auto-estima podem
ser influenciadas negativamente: ao pensar que é a única
com este problema, pode sentir-se diminuída em relação
às outras crianças.
O dormir fora de casa (exemplo: numa visita de estudo
organizada pela escola ou em casa de um familiar
próximo) pode apresentar-se como uma situação
problemática e constrangedora para a criança.

Assim, a enurese pode condicionar o desenvolvimento da
criança, isto porque, apesar das implicações que apresenta
ao nível da auto-estima e da socialização, provoca também consequências no processo de integração da criança e,
segundo os especialistas, pode causar problemas
psicológicos para o resto da vida.

Apesar de o tratamento adequado e atempado poder trazer benefícios à criança, prevenindo mesmo o sofrimento no
futuro, o "fazer chichi na cama", muitas vezes não é referido
pelos pais nas consultas de rotina. Existem vários
tratamentose terapias a que se podem recorrer e o
problema pode até desaparecer com o crescimento.


O que os pais devem fazer

A maior parte dos pais, não sabe como lidar com a
enurese nocturna dos filhos.
As noites mal dormidas para toda a família, as crises
de choro e de vergonha, as mudanças de lençóis e
colchões molhados, são situações angustiantes para
toda a família.

Eis aqui algumas situações que o podem ajudar a
minimizar o problema.

Em casa, a prática mais imediata e eficaz é colocar
uma coberta impermeável que isole o colchão do
lençol. Outro método que pode ajudar, mas bastante
mais complicado, será a colocação de um discreto
alarme na cama que é accionado quando a urina
entra em contacto com a coberta.
Pretende-se que ao fim de algum tempo a criança
acorde por si só quando sentir a bexiga cheia. No
entanto, este método poderá, ao culpabilizar a
criança, tornar-se contraproducente.

Contudo, o primeiro passo é contactar o médico
de família eexpor a problemática existente. Se se
justificar, será ele a prescrever a medicação
adequada.Em reuniões com um especialista, a
família pode compreender e discutir o problema
auxiliando a criança que, por sua vez, é
ajudada a tomar consciência das suas rotinas e
responsabilidades.

São várias as soluções para enurese nocturna da
criança. Ao longo do seu desenvolvimento, é natural
que períodos de sono tranquilo sejam intercalados
com outros de regressão ao padrão comportamental
anterior. Mas, mais que tudo, a criança nunca
deve ser penalizada, castigada ou punida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário